Amor não é troca.

Não raro escuto as pessoas falando que “damos amor e queremos receber amor. Amor é troca”, como sentença definitiva. Não, amor não é troca. A troca é a base do comércio que, sim, ajuda a movimentar o planeta e a dirimir as diferenças entre os povos, porém, amor não é mercadoria para ser negociado. O amor tem que ser incondicional, sem exigir absolutamente nada de volta ou não é amor. Amor não é moeda de convivência, mas o verdadeiro sentido dos relacionamentos. Na verdade, quando se reclama que o outro não nos devolveu o amor que lhe oferecemos, estamos transferindo para terceiros a responsabilidade pelo nosso vazio existencial. Um ser integral a caminho da harmonia interior sabe que toda a paz e felicidade de que necessita para se sentir pleno é construída dentro de si por si. A partir de então passa a compartilhar com todos o belo sentimento que lhe encanta o coração. Como um casaco tricotado com a agulha da sabedoria e pelas linhas do amor, que pronto, tem-se o desprendimento de entregar a quem está com frio, sem esperar absolutamente nada de volta, salvo a própria alegria de ter levado um pouco de conforto a alguém. É imprescindível entender que somente você é responsável por sua felicidade. Transferir ao outro a responsabilidade de lhe fazer feliz é inadequado, tolo e, cedo ou tarde, surgirão os conflitos naturais oriundos de quem carrega um fardo que não pode suportar. Não se pode exigir do outro o preenchimento do vácuo de sua alma, pois tal desafio é pessoal e inerente à evolução de cada um. Ninguém tem a obrigação de fazer ninguém feliz. O que é diferente de sempre oferecer o seu melhor para o sorriso e o conforto de alguém. Ser amado é maravilhoso e uma das dádivas divinas da vida, mas é necessário aceitar que o amor do outro não é nem será a base da sua felicidade. Esta tem que ser construída aos poucos dentro de você. Cada um de nós, sem exceção, possui as ferramentas necessárias para fortalecer a alma a alcançar a plenitude em completa liberdade, ao largo de qualquer dependência emocional. Dependências, afetiva ou sentimental, nada mais são do que prisões sem grades – embora algumas estejam bem disfarçadas em gaiolas doces e douradas – onde não podemos nos permitir apodrecer.

O amor é a força mais poderosa de todo o universo, raiz de todas as transformações, magias ou milagres. São as asas do ser e a razão da evolução. O poder do amor reside na fantástica realidade de que quanto mais se dá mais se tem, a transbordar infinitamente essa fonte mágica de alegria. É a única maneira de se conseguir um bilhete para a próxima estação na maravilhosa viagem da vida. Não há outra. A única bagagem que lhe será permitido levar é a essência de seus sentimentos mais nobres e as histórias que escreveu com eles. Somente isto cabe em sua “sacola sagrada”, o seu coração. Esta é a sua verdadeira herança.

Não se pode cobrar nada em troca do amor, porque para existir de verdade o amor tem como premissa o desprendimento, a generosidade, a alegria, a liberdade, o perdão e a harmonia no convívio social. Ao dar amor nos enriquecemos na perfeita proporção da doação. Estranho, não? Apenas enquanto ainda não estivermos despertos de uma série de condicionamentos culturais, sociais e ancestrais que limitam a expansão da consciência. O exercício do amor incondicional nos liberta e aperfeiçoa. Sim, insisto: o amor é incondicional ou não é amor.

O amor tem ricos vieses. Aqui a abordagem será resumida, para mais adiante, em outros trabalhos, ser mais amplamente desenvolvida.

– O perdão talvez seja o mais importante deles. A mágoa é uma terrível masmorra a nos aprisionar àquele que supostamente nos fez mal. As algemas são travadas pela energia do sentir e do pensar. Para nos libertar e seguir adiante no Caminho a única maneira é perdoar. Não há outra. Na exata medida que o ressentimento encarcera, o perdão liberta. Ao perdoar liberamos o outro de nossos desejos mais sombrios e, nesse compasso, nos libertamos. Assim, o perdão se mostra, além de um ato de profundo amor, ser também de extrema sabedoria. Entender o perdão é fazer uso de um poderoso instrumento de evolução. O perdão nos concede o sagrado manto da perfeita humildade, por reconhecer as próprias falhas ou as que um dia já nos pertenceram. É o perfeito entendimento de que ninguém nasce pronto. Sim, o mal tem que ser estancado e o erro corrigido. No entanto, ninguém tem o poder de impedir ao ofensor novas possibilidades de acerto no futuro. Assim como você e eu.

– Vivenciar toda a extensão da energia do amor significa entender a inutilidade de aprisionar alguém a si, pois desejo, orgulho e vaidade não constroem o legítimo Direito. Ciúme não é amor. Ciúme é a sombra do amor, o medo de aceitar as asas que o amor concede. A liberdade de partir, ou ficar, de alguém é absoluta e deve ser respeitada. Dessa maneira, a recíproca será sempre bem aplicada. Ninguém é dono de ninguém. O outro desejará caminhar ao seu lado pelo tempo que as afinidades espirituais estiverem alinhadas. Isto pode durar um dia ou séculos. A Lei da Evolução é inexorável e fará com que todos cheguem ao destino. No entanto, cada qual viajará na exata velocidade da expansão do seu nível de consciência, que se modificará, seja por gosto ou imposição. Ninguém ficará para trás, mas nem todos estarão no mesmo passo. Então, algumas separações serão inevitáveis. É preciso entender que o processo evolutivo, embora desenvolvido através do convívio social, com suas dores e delícias, onde aprendemos com uns e ensinamos a outros, é individual e intransferível. Isto explica o erro de desejar manter alguém ao nosso lado a qualquer custo ou mesmo o sofrimento ao ver o outro partir. Entender que “foi bom enquanto durou” ou “deixe partir o que não mais pertence ao seu momento” é aceitar sábias observações cósmicas. O que muitos chamam de perdas, nada mais são do que imprescindíveis transformações ocultas reveladas pela sabedoria do tempo.

– O amor traz consigo variantes nobres. A palavra misericórdia vem do latim e na minha opinião é uma das mais bonitas da língua portuguesa, pois expressa o sentimento de “colocar o nosso coração para aliviar a dor alheia” como um valioso bálsamo a levar conforto a quem nos procure. Os orientais ensinam que compaixão é a beleza de “salvar uma alma” e quando assim o fazemos uma nova estrela passa a brilhar no firmamento. Já se perguntou quantas estrelas já ajudou a pendurar no céu? O mais interessante é perceber como o simples ato de oferecer um pouco do seu tempo e algumas palavras amorosas, proferidas com sinceridade, têm o poder de resgatar vidas e modificar rumos. É sementeira barata a disposição de qualquer jardineiro atento.

O amor é o que de mais sagrado existe no ser, pois, em essência, revela a esperança que deposita na humanidade e, por consequência, em si próprio.

Enfim, dentro de cada um de nós adormece essa força capaz de transformar e libertar a si mesmo, expandindo-se em ondas até os confins do universo a embelezar os jardins da existência. No amor reside todo o seu poder e magia. Use-o sem moderação!

 

 

 

Discussões — 6 Respostas

  • Mara Lúcia de Menezes Mascarenhas 2 de agosto de 2016 on 10:43

    Meu Deus, eu sempre acho que já ouvi tudo, mas a cada texto me supreenda com um novo conceito de velhas fórmulas. Perfeito, um dos textos de Yoskhaz mais lindos que já li.
    Obrigada!

  • Rosana Ferreira de Lima Issi 22 de setembro de 2015 on 23:02

    Lindo este texto

  • Celso Leie 11 de setembro de 2015 on 19:36

    Refletir

  • jacob figueiras 31 de agosto de 2015 on 19:55

    Muito bom. ..Sou cristão gnostico ….temos afinidade nas idéias …o princípio que me mudou foi o que Jesus disse:”O Reino de Deus está dentro de vós”(Seg.Evang.S.Tomé)Gostaria de ter orientação por parte de você…Obrigado.

  • Denise 31 de agosto de 2015 on 03:18

    Texto irretocável …
    O amor é o mais puro dos sentimentos …
    Está dentro de nós , está em nós veem todas as coisas , das mais variadas formas.
    Os pais , ao serem duros com seus filhos , estão exercendo uma forma de amor …
    Num relacionamento afetivo, quando uma das partes está em desequilíbrio , o ” deixar ir” do outro , também é uma forma de amor …
    Num olhar rápido , enxergamos milhões de formas de AMOR …
    Ter AMOR , saber dar esse amor e saber receber AMOR …
    Ahhh , o amor …
    Como diz o poema de Camões :
    ” Amor é um fogo que arde sem se ver;
    É ferida que dói , e não se sente ;
    É um contentamento descontente ;
    É dor que desatina sem doer.”

  • Marcello 29 de agosto de 2015 on 19:16

    Lindo texto, linda imagem 🙂