Archive for outubro, 2017

  1. A lei do progresso

      Eu estava sentado na varanda do mosteiro apreciando as belas montanhas que o acolhem quando se aproximou o Velho, como carinhosamente chamávamos o monge mais antigo da Ordem. Sempre com o seu jeito jovial, apesar da idade avançada, trazia duas canecas de café fresco e as acomodou na mesa ao meu lado. Sentou-se em […]

  2. O segundo dia da travessia – a dor nada ensina

      A caravana seguia rumo ao maior oásis do Deserto do Saara. O meu objetivo era conhecer um sábio dervixe, detentor de “muitos segredos do céu e da terra”. Estávamos no segundo dia da travessia, e eu ainda me acostumava ao gingado do camelo, que me deixava um pouco enjoado. Tentava me distrair com a […]

  3. O sapateiro, o industrial e a ironia

      Eu andava pelas ruas estreitas e sinuosas da charmosa cidadezinha que fica no sopé da montanha que acolhe o mosteiro na incerteza de encontrar a oficina de Loureiro, o sapateiro amante dos livros e dos vinhos, famoso por costurar o couro como ofício e as ideias como arte, ainda aberta para um café fresco […]

  4. O primeiro dia da travessia – quando menos é mais

      Era o primeiro dia de viagem. Eu estava em uma pequena cidade fronteiriça ao deserto do Saara, no norte da África. A minha intenção era fazer parte de uma caravana que partiria rumo a um oásis onde residia um sábio dervixe. Nas rodas esotéricas ele era conhecido como um feiticeiro muito respeitado face ao […]

  5. O guardião e o mestre

      A palestra que o Velho, como carinhosamente chamávamos o monge mais antigo da Ordem, tinha ministrado em uma conhecida universidade versava sobre a necessidade do equilíbrio entre o ego e a alma. Ele aproveitou uma figura de linguagem usada por Teresa D’Avila ao comparar o íntimo de uma pessoa como a um castelo de […]