Archive for março, 2018

  1. O elogio e a trilha para o precipício

      Eu tinha descido a montanha que acolhe o mosteiro para esfriar a cabeça e colocar as ideias no lugar. Quando cheguei à pequena e charmosa cidade localizada logo abaixo, fui procurar Loureiro, o sapateiro amante dos livros e dos vinhos. Eu precisava desabafar. Encontrei o meu amigo em sua oficina. Fui recebido com um […]

  2. O décimo-sétimo dia da travessia – a noite do deserto

      O décimo-sétimo dia da travessia transcorria tranquilo. Emparelhado ao meu camelo seguia um jovem mercador de utensílios, como facas e panelas, de muita necessidade às pessoas que habitam no oásis. Ele me contava que era a sua segunda viagem. Farid era o seu nome. Na primeira conseguira vender todo o estoque que levara, auferindo […]

  3. A medicina da coruja

      O tambor de duas faces de Canção Estrelada, o xamã que tinha o dom de compartilhar a filosofia do seu povo através da palavra, rufava noite adentro nas montanhas do Arizona, ritmando uma doce canção ancestral cantada em dialeto nativo. Um dos amigos mais queridos do xamã havia falecido. Canção Estrelada estava sozinho em […]

  4. O décimo-sexto dia da travessia – onde há vontade, há um caminho

    O dia amanhecia no deserto. Afastado da caravana, sentado na areia com uma caneca de café fresco na mão, eu observava o caravaneiro adestrando o seu falcão. Ingrid, a astrônoma, se aproximou. Ela quis saber a razão para eu ficar de longe, todas as manhãs, olhando o voo da ave. Respondi que não sabia ao […]

  5. O verdadeiro rosto da coragem

      Naquele ano, quando cheguei à pequena vila chinesa escondida no Himalaia, eu estava bastante chateado. Um dos jovens que trabalhavam na minha agência de publicidade tinha me causado um profundo desgosto. Ele estava comigo desde quando era estagiário. Talentoso e dedicado, tinha galgado cada degrau dentro da empresa a ponto de se tornar responsável […]

  6. O décimo-quinto dia da travessia – navegar sem água

      O dia amanhecia. Sentado na areia com uma caneca de café fresco na mão, eu observava o caravaneiro adestrar o seu falcão. Era encantador constatar que ela sempre retornava com o seu alimento, apesar da aridez do deserto. Os olhos sagazes da ave conseguiam encontrar algo onde, para olhos despreparados, não havia nada. Assim […]