Archive for maio, 2018

  1. Quem somos

    Quando cheguei à pequena vila chinesa no Himalaia, deixei minha mala na única estalagem do lugar e me dirigi à casa de Li Tzu, o mestre taoísta. Era muito cedo. Meia-noite, o gato preto que também morava na casa, mergulhado em sono profundo, nem se mexeu com a minha chegada. Li Tzu tinha terminado os […]

  2. O vigésimo-quarto dia da travessia – o infinito

    O sol. O dia começava com a bola de fogo, ainda morna, me aquecendo o corpo ao surgir por detrás das dunas. Sentado na areia, um pouco distante do burburinho da caravana, com uma caneca de café na mão, eu esperava pelo caravaneiro no adestramento matinal do seu falcão. Nesse dia ele não apareceu. Fiz […]

  3. A medicina da borboleta

      Canção Estrelada, o xamã que tinha o dom de transmitir a sabedoria do seu povo através das histórias e das músicas, tinha vindo me visitar no Rio de Janeiro. Tínhamos feito uma trilha pela Floresta da Tijuca, uma das maiores florestas urbanas do planeta. Localizada em uma montanha, de lá é possível avistar diversos […]

  4. O vigésimo-terceiro dia da travessia – a verdade do deserto

      A caravana era um universo. A família, o trabalho, os amigos são alguns dos pequeníssimos universos que coexistem na vida de todas as pessoas, com particularidades, padrões, dificuldades, prazeres, lições entre outras características evolutivas afinadas aos seus habitantes. Essa era a reflexão que me ocupava a mente naquela manhã. Eu estava sentado na areia, […]

  5. O Terceiro Portal – os Oito Portais do Caminho

      A minha busca para decodificar os oito portais do Caminho prosseguia. Eu tinha descoberto recentemente que as bem-aventuranças, parte inicial do Sermão da Montanha, o lindo texto contido no Livro de Mateus, ocultavam dos olhos afoitos os oito portais que todos os andarilhos devem atravessar ao percorrer o Caminho. Cada portal, protegido por um […]

  6. O vigésimo-segundo dia da travessia – os olhos do deserto

      Nada como o dia seguinte à tempestade para entendermos o valor da calmaria. Assim era o vigésimo-segundo dia da travessia. As horas se seguiam com encantadora calma após alguns dias de extrema movimentação. No entanto, se engana quem pensa que tranquilidade é necessariamente sinônimo de tédio ou estagnação. Eu tinha acordado com os primeiros […]

  7. Fontes turvas e claras

      Quando cheguei à vila chinesa próxima ao Himalaia eu estava esgotado. Estar esgotado é diferente de estar cansado. O cansaço é comum, e até mesmo prazeroso, após uma jornada de trabalho físico ou mental na materialização de uma ideia. O esgotamento é a horrível sensação de esvaziamento do ser. É como se a fonte […]