Archive for junho, 2020

  1. O jogo da vida

    As duas canecas fumegantes de café foram postas sobre o balcão de madeira da oficina de Loureiro, o sapateiro amante dos livros de filosofia e dos vinhos tintos. A pequena e charmosa cidade que ficava no sopé da montanha que abrigava o mosteiro ainda despertava. Havia quase um ano que não nos encontrávamos. Tínhamos muitas […]

  2. O mel da vida

    Era uma manhã de sábado. Em Sedona, nas montanhas do Arizona, Canção Estrelada, o xamã que tinha dom de polinizar a sabedoria do seu povo, estava sentado debaixo do grande carvalho que havia no quintal da sua casa. As pessoas chegavam de diversos lugares para ouvir as suas histórias. Havia tempo que esse alegre cerimonial […]

  3. Para recomeçar é preciso reconstruir

    Canção Estrelada, o xamã que tinha o dom de perpetuar a sabedoria do seu povo através das histórias que contava, acendeu o fumo no seu indefectível cachimbo com fornilho de pedra vermelha, baforou algumas vezes e deixou o olhar vagar pela infinitude da noite. Estávamos sentados na varanda da sua casa quando fui surpreendido com […]

  4. A montanha, as lentes e os filtros

    A tranquilidade e a camaradagem eram as tônicas do mosteiro. Todos os monges que chegavam para mais um período de estudos traziam consigo a boa vontade, não apenas em estarem receptivos aos novos conhecimentos, mas também a terem um relacionamento fraterno com os demais que ali estavam. Os dias corriam calmos e alegres, os monges […]